.

domingo, 28 de março de 2010

Ciclo que não quer terminar.


É difícil construir um novo começo. Mais ainda quando não se quer terminar o último final. Aquele inverno teria sido o início de uma despedida que se prolongaria por semanas, despedida que não queria nunca acabar, ou melhor, chegar. Mas como girar os ponteiros do relógio no sentido anti-horário não adianta nada, ela chegou. Não pra mim. Pra mim... Não.

E aquela semana inteira sustentada só Deus sabe como, estava passando em um piscar de olhos. Uma última visita, quase implorada aos pais, a mais corrida de todas. A última vez que pisaria alí daquela forma, fazendo parte. Milhões de abraços apertados sem querer me deixar ir. Lágrimas coladas aos olhos que insistiam em não deixá-las escorrer, e ainda aquelas que caiam sem parar, se misturando aos soluços e palavras ditas que eu mal entendia. Sem falar nas lembranças entregues nos últimos minutos, e aquelas que eu teimava em não receber. Finalmente, os passos se prolongaram para fora, para a rua. Nenhuma lágrima caiu, talvez a pressa e o desespero daquele momento, não tenha me permitido isso. Muita pressão pra uma pessoa só.

E já durante o caminho, nó na garganta e lágrimas teimosas não sei porquê. Uma última ligação, ao cair da noite, noite que se prolongaria por muito tempo, a noite mais escura e fria que eu já vi.

- Alô?
- Oi !
- Cara, onde você tá?
- Tô no carro, chegando perto já.
- Ca ram ba.. não.. a cre di to

Pronto. Esse simples diálogo, foi o bastante pra me fazer desabar e cair em um choro tão profundo de saudade antecipada, de medo de tudo se tornar um passado, uma marca. É, ainda bem que me foi provado o contrário. Realmente, eu pude entender que qualquer sentimento, desde que seja verdadeiro, não acaba com qualquer obstáculo não!






"O dia mente a cor da noite
E o diamante, a cor dos olhos
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"
Fernando Anitelli

11 Comentários:

Anna Beatriz disse...

Nossa Inha, foi terrivel aquele dia, eu e Ada correndo contra o tempo pra entregar seu scrap book a tempo, sair pra se despedir, mas no fim, você já estava quase lá :S
Aiin, saudades enormes, beijos!

Ada Lílian disse...

Ai Inha, sempre me fazendo chorar.
Também não acreditei (inclusive foi eu que liguei para Elisa para perguntar a onde você estava :/), e daqui a pouco ela me liga dizendo que você já foi.
Como consigo acriditar?
Adooro esse trecho que você colocou no final, Teatro Mágico né?
Beeijos fofinha, te amo!

~ AnaaCaarla disse...

escrevee muito bem, ée sou eu mesma!
e já tinha ouvido falar de você! UHSIUAHS'

Ingridi Ramos disse...

"Realmente, eu pude entender que qualquer sentimento, desde que seja verdadeiro, não acaba com qualquer obstáculo não!"
Concordo plenamente. Adorei o texto flor.
Estou visitando pela primeira vez seu blog e espero visitar mais. ^^
Kissus ;*

Ingridi Ramos disse...

P.S.: Ah, estou te seguindo... :)

Anna disse...

Não entendi muito bem o post, mas enfim, despedidas são ruins de qualquer jeito!
beijos

Maldito disse...

Calma,.. ainda ta muito cedo pra se levar as coisas assim! Nada é para sempre!

Thaís A. disse...

uau. Aconteceu mesmo? :~

Paula Teles disse...

Ameeeei o post e o blog >.< Ja estou seguindo e volto aqui mais vezes viuu ;)

Vanessa disse...

Sem dúvida, sentimentos verdadeiros não se acabam com qualquer obstáculo. Nem mesmo se o obstáculo for a distância!

Letícia disse...

Ainda é sobre o último dia de aula na antiga escola?
Nossa, Mayara, curte aí o novo colégio.
Amizades vamos sempre guardar no coração, mas não dá pra carregar a saudade delas todo dia, todo o tempo né :)
Mas gostei do texto.
Beijo!

Ciclo que não quer terminar.

11 comentários

É difícil construir um novo começo. Mais ainda quando não se quer terminar o último final. Aquele inverno teria sido o início de uma despedida que se prolongaria por semanas, despedida que não queria nunca acabar, ou melhor, chegar. Mas como girar os ponteiros do relógio no sentido anti-horário não adianta nada, ela chegou. Não pra mim. Pra mim... Não.

E aquela semana inteira sustentada só Deus sabe como, estava passando em um piscar de olhos. Uma última visita, quase implorada aos pais, a mais corrida de todas. A última vez que pisaria alí daquela forma, fazendo parte. Milhões de abraços apertados sem querer me deixar ir. Lágrimas coladas aos olhos que insistiam em não deixá-las escorrer, e ainda aquelas que caiam sem parar, se misturando aos soluços e palavras ditas que eu mal entendia. Sem falar nas lembranças entregues nos últimos minutos, e aquelas que eu teimava em não receber. Finalmente, os passos se prolongaram para fora, para a rua. Nenhuma lágrima caiu, talvez a pressa e o desespero daquele momento, não tenha me permitido isso. Muita pressão pra uma pessoa só.

E já durante o caminho, nó na garganta e lágrimas teimosas não sei porquê. Uma última ligação, ao cair da noite, noite que se prolongaria por muito tempo, a noite mais escura e fria que eu já vi.

- Alô?
- Oi !
- Cara, onde você tá?
- Tô no carro, chegando perto já.
- Ca ram ba.. não.. a cre di to

Pronto. Esse simples diálogo, foi o bastante pra me fazer desabar e cair em um choro tão profundo de saudade antecipada, de medo de tudo se tornar um passado, uma marca. É, ainda bem que me foi provado o contrário. Realmente, eu pude entender que qualquer sentimento, desde que seja verdadeiro, não acaba com qualquer obstáculo não!






"O dia mente a cor da noite
E o diamante, a cor dos olhos
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"
Fernando Anitelli

11 comentários:

Anna Beatriz disse...

Nossa Inha, foi terrivel aquele dia, eu e Ada correndo contra o tempo pra entregar seu scrap book a tempo, sair pra se despedir, mas no fim, você já estava quase lá :S
Aiin, saudades enormes, beijos!

Ada Lílian disse...

Ai Inha, sempre me fazendo chorar.
Também não acreditei (inclusive foi eu que liguei para Elisa para perguntar a onde você estava :/), e daqui a pouco ela me liga dizendo que você já foi.
Como consigo acriditar?
Adooro esse trecho que você colocou no final, Teatro Mágico né?
Beeijos fofinha, te amo!

~ AnaaCaarla disse...

escrevee muito bem, ée sou eu mesma!
e já tinha ouvido falar de você! UHSIUAHS'

Ingridi Ramos disse...

"Realmente, eu pude entender que qualquer sentimento, desde que seja verdadeiro, não acaba com qualquer obstáculo não!"
Concordo plenamente. Adorei o texto flor.
Estou visitando pela primeira vez seu blog e espero visitar mais. ^^
Kissus ;*

Ingridi Ramos disse...

P.S.: Ah, estou te seguindo... :)

Anna disse...

Não entendi muito bem o post, mas enfim, despedidas são ruins de qualquer jeito!
beijos

Maldito disse...

Calma,.. ainda ta muito cedo pra se levar as coisas assim! Nada é para sempre!

Thaís A. disse...

uau. Aconteceu mesmo? :~

Paula Teles disse...

Ameeeei o post e o blog >.< Ja estou seguindo e volto aqui mais vezes viuu ;)

Vanessa disse...

Sem dúvida, sentimentos verdadeiros não se acabam com qualquer obstáculo. Nem mesmo se o obstáculo for a distância!

Letícia disse...

Ainda é sobre o último dia de aula na antiga escola?
Nossa, Mayara, curte aí o novo colégio.
Amizades vamos sempre guardar no coração, mas não dá pra carregar a saudade delas todo dia, todo o tempo né :)
Mas gostei do texto.
Beijo!

  ©A guardiã de memórias - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo