.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Os eternos quatro anos.

Lembro-me muitíssimo bem do meu primeiro dia naquele lugar. Eu era aluna novata e nunca tinha estudado em uma escola tão grande quanto. Nunca tinha estudado em uma escola que batia sinal, que tinha que comprar ficha pra catina, que tinha auditório, biblioteca, enfim. Cheguei meio assutada com minha bolsa super rosa da Hello kitty, é (oi?). E logo quem veio me receber? Uma das mais amáveis supervisoras daquela escola. Uma gordinha, baixinha, que lambe os cabelos pra trás e usa óculos: Téssia/Tessinha. Ela me perguntou em que série eu estava, e eu, meio desligada com esse lance de 'quinto ano, sexto ano', falei 'quinta-série'. Daí ela me levou pra uma classe repleta de alunos e de barulho. A sala estava formada em grupos e eu logo me enturmei com uns nerds. A gente começou a conversar sobre idade e eu descobri que estava na sala errada! Aquela, na verdade é o quintO ano, e não a quintA série. Ninguém acreditou em mim, disseram que eu tava enganada. Então eu parti pra porrada! Brincadeira, chamei a professora e avisei. Daí Tessinha me levou pra minha sala correta. Foi um choque quando cheguei. O maior silêncio na sala e eu parecia ser um imã que atraia todos os olhares. Só tinha uma cadeira vaga lá no fundão, e eu sentei. O professor de história já tinha enchido o quadro, mas eu nem copiei. Tinha uma menina do meu lado, com o pé engessado e cara de menino malandro. Hoje ela é uma das minhas melhores amigas: Elisa.
Já ia tocar pro intervalo, e eu fiquei com uma menina que sentava na minha frente. Aprendi tudo sobre colégio, e estudei lá por longos 4 anos. Os melhores 4 anos da minha vida. Aquela escola era minha casa. Minha igreja. Foi alí que eu conheci meus melhores amigos, foi alí que eu fiquei de recuperação pela primeira vez (tenso), foi alí que eu comecei a conhecer pessoas de outros colégios, que comecei a fazer tênis de mesa (nem jogo bem), que fui icentivada a voltar a tocar violão, foi alí que passei minhas tardes fazendo NADA, era alí que o pessoal da cantina já sabia qual era meu lanche: queijada com Sprite, foi alí que eu pude ser apresentadora de um projeto pra escola inteira e visitantes (vestida de Maria Bonita, detalhe.) Foi alí que eu toquei guitarra na festa da Colheita (tenso).
Cara, eu devo MUITA coisa à essa escola, tenho muito orgulho de ter estudado lá. E apesar de não ser a maior ou mais conhecida da capital, foi a melhor que eu já estudei, a que eu mais amo, é a escola do meu coração. Pegar minha transferência alí, foi umas das piores coisas pra mim. E qual é a escola que te dá chazinho independente do que você esteja sentindo? Tá com dor de cabeça? Toma chazinho. Levou uma porrada? Toma chazinho. Arrancaram sua perna? Toma chazinho!
Vai ficar pra sempre na minha memória, aquele bando de pessoinhas com aquela fardinha verde, que eu amava. Pra sempre aluna Bereiano!

Aniversário surpresa Raquel Neri. Ps: Elisa é a de camisa vermelha e short. Hahuha.

6 Comentários:

Anna Beatriz disse...

Nhooow que liinda *-* Foi através das pessoas que você conheceu nessa escola que você me conheceu, em fim, imagino como deve ter sido terrivel pegar a trasferência, assim como foi terrivel pra mim ouvir/ler :Anninha, saiu a transferência, vou morar em Recife.
Aiin, saudades enooormes!
beeijos

Ada Lílian disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk "cara de menino malandro", tinha que ser Elisa, kkkkkkkkkkkkkkk
que lindo iinha, é bom demais o beereu.
Toma chazinho! beeeijos

'cary. disse...

aain, quase chorei aqui porque eu também me senti assim quando tive que mudar de escola: por mais que minha escola não fosse a melhor, eu me sentia mtmtmtmt bem naquele espaço. '-'
Beijo ;*

Anna disse...

Me identifiquei muito. Estudei numa escola assim do pré até a oitava série. O esquema era o mesmo, lá era minha segunda casa. Conhecia todos os funcionários, tinha conta fixa na cantina, e acredite se quiser, na sala dos professores tinha um chazinho ótimo que sempre mandavam a gente tomar quando se sentia mal. Lembro que na oitava a cara de pau era tanta que sempre invadia a sala pra tomar chá.
Beijos

Letícia disse...

ahahahaha que fofura!
Só mudei de escola uma vez, quando fui do Fundamental para o Ginásio e me senti exatamente como você, indo de uma escola pequena onde estudei desde o maternal e todos os funcionários me conheciam para uma escola muito grande que me dizia o tempo todo pra começar a ser independente e pensar no futuro. Senti uma diferença enorme.
Beijo!

Candy Medina disse...

siim, é uma música, de hip hop, haha :x siim, só que pra mim o carnaval não serve nem como feriado porque eu ainda to de férias! haha

valew pelo boa sorte, e é, vou pensar em alguma coisa boa pra postar, eu preciso postar mais veezes D:

aah, brigada por comentar também, beeeijos, God bless!

Os eternos quatro anos.

6 comentários
Lembro-me muitíssimo bem do meu primeiro dia naquele lugar. Eu era aluna novata e nunca tinha estudado em uma escola tão grande quanto. Nunca tinha estudado em uma escola que batia sinal, que tinha que comprar ficha pra catina, que tinha auditório, biblioteca, enfim. Cheguei meio assutada com minha bolsa super rosa da Hello kitty, é (oi?). E logo quem veio me receber? Uma das mais amáveis supervisoras daquela escola. Uma gordinha, baixinha, que lambe os cabelos pra trás e usa óculos: Téssia/Tessinha. Ela me perguntou em que série eu estava, e eu, meio desligada com esse lance de 'quinto ano, sexto ano', falei 'quinta-série'. Daí ela me levou pra uma classe repleta de alunos e de barulho. A sala estava formada em grupos e eu logo me enturmei com uns nerds. A gente começou a conversar sobre idade e eu descobri que estava na sala errada! Aquela, na verdade é o quintO ano, e não a quintA série. Ninguém acreditou em mim, disseram que eu tava enganada. Então eu parti pra porrada! Brincadeira, chamei a professora e avisei. Daí Tessinha me levou pra minha sala correta. Foi um choque quando cheguei. O maior silêncio na sala e eu parecia ser um imã que atraia todos os olhares. Só tinha uma cadeira vaga lá no fundão, e eu sentei. O professor de história já tinha enchido o quadro, mas eu nem copiei. Tinha uma menina do meu lado, com o pé engessado e cara de menino malandro. Hoje ela é uma das minhas melhores amigas: Elisa.
Já ia tocar pro intervalo, e eu fiquei com uma menina que sentava na minha frente. Aprendi tudo sobre colégio, e estudei lá por longos 4 anos. Os melhores 4 anos da minha vida. Aquela escola era minha casa. Minha igreja. Foi alí que eu conheci meus melhores amigos, foi alí que eu fiquei de recuperação pela primeira vez (tenso), foi alí que eu comecei a conhecer pessoas de outros colégios, que comecei a fazer tênis de mesa (nem jogo bem), que fui icentivada a voltar a tocar violão, foi alí que passei minhas tardes fazendo NADA, era alí que o pessoal da cantina já sabia qual era meu lanche: queijada com Sprite, foi alí que eu pude ser apresentadora de um projeto pra escola inteira e visitantes (vestida de Maria Bonita, detalhe.) Foi alí que eu toquei guitarra na festa da Colheita (tenso).
Cara, eu devo MUITA coisa à essa escola, tenho muito orgulho de ter estudado lá. E apesar de não ser a maior ou mais conhecida da capital, foi a melhor que eu já estudei, a que eu mais amo, é a escola do meu coração. Pegar minha transferência alí, foi umas das piores coisas pra mim. E qual é a escola que te dá chazinho independente do que você esteja sentindo? Tá com dor de cabeça? Toma chazinho. Levou uma porrada? Toma chazinho. Arrancaram sua perna? Toma chazinho!
Vai ficar pra sempre na minha memória, aquele bando de pessoinhas com aquela fardinha verde, que eu amava. Pra sempre aluna Bereiano!

Aniversário surpresa Raquel Neri. Ps: Elisa é a de camisa vermelha e short. Hahuha.

6 comentários:

Anna Beatriz disse...

Nhooow que liinda *-* Foi através das pessoas que você conheceu nessa escola que você me conheceu, em fim, imagino como deve ter sido terrivel pegar a trasferência, assim como foi terrivel pra mim ouvir/ler :Anninha, saiu a transferência, vou morar em Recife.
Aiin, saudades enooormes!
beeijos

Ada Lílian disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk "cara de menino malandro", tinha que ser Elisa, kkkkkkkkkkkkkkk
que lindo iinha, é bom demais o beereu.
Toma chazinho! beeeijos

'cary. disse...

aain, quase chorei aqui porque eu também me senti assim quando tive que mudar de escola: por mais que minha escola não fosse a melhor, eu me sentia mtmtmtmt bem naquele espaço. '-'
Beijo ;*

Anna disse...

Me identifiquei muito. Estudei numa escola assim do pré até a oitava série. O esquema era o mesmo, lá era minha segunda casa. Conhecia todos os funcionários, tinha conta fixa na cantina, e acredite se quiser, na sala dos professores tinha um chazinho ótimo que sempre mandavam a gente tomar quando se sentia mal. Lembro que na oitava a cara de pau era tanta que sempre invadia a sala pra tomar chá.
Beijos

Letícia disse...

ahahahaha que fofura!
Só mudei de escola uma vez, quando fui do Fundamental para o Ginásio e me senti exatamente como você, indo de uma escola pequena onde estudei desde o maternal e todos os funcionários me conheciam para uma escola muito grande que me dizia o tempo todo pra começar a ser independente e pensar no futuro. Senti uma diferença enorme.
Beijo!

Candy Medina disse...

siim, é uma música, de hip hop, haha :x siim, só que pra mim o carnaval não serve nem como feriado porque eu ainda to de férias! haha

valew pelo boa sorte, e é, vou pensar em alguma coisa boa pra postar, eu preciso postar mais veezes D:

aah, brigada por comentar também, beeeijos, God bless!

  ©A guardiã de memórias - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo